contato@falandodecondominio.com.br

Crise requer análise dos gastos do condomínio

Gestão de Condomínio

A crise que vem tomando conta do país nos últimos anos está fazendo com que o desemprego aumente e com isso a inadimplência da taxa condominial também vem aumentando. Mas os serviços no condomínio não podem parar, por isso, manter as contas em dia e a estrutura funcionando depende de muito esforço.

Época de crise é importante para melhorar os processos que muitas vezes causam gastos desnecessários, criando uma nova postura. Algumas dicas podem ajudar.

Combate enérgico à inadimplência

Os devedores podem ser classificados da seguinte forma: contumazes, que são aqueles que sempre deixam de pagar um mês ou outro, mas que quitam os débitos; devedores de até um ano de atraso; e devedores de valores maiores. Para os contumazes, a sugestão é reeducação e encaminhar o caso para um escritório de advocacia, para cobrança extrajudicial com acréscimo. Para os recentes, pode ser feito um acordo, se não surtir efeito deve ser encaminhada ação de cobrança. E para os devedores com valor maior, imediata distribuição de ação de cobrança. É preciso não deixar a inadimplência crescer. Muitas vezes um e-mail de cobrança dentro do mês pode surtir efeito.

Se mesmo assim as contas não fecharem

Caso o condomínio não tenha grande inadimplência e ainda assim as contas não fecharem é hora de rever todos os gastos ordinários e extraordinários. Comece pelos contratos. Renegocie o que for possível. Reveja planos de investimentos programados e deixe para um melhor momento. Vale ressaltar que a reserva de caixa deve ser utilizada somente em casos de despesas não previstas.

Anuncie Aqui

Já se economizou em tudo, é hora de rever a previsão orçamentária

Se o saldo continuar negativo, o erro pode ter sido cometido na elaboração da previsão orçamentária. Nesse caso, é necessário fazer uma revisão dos valores, mesmo que seja antes do prazo que havia sido estipulado, que normalmente é uma vez por ano. Não reajustar para o valor que realmente se gasta pode representar o uso de dinheiro destinado a outra finalidade. Nesse caso, também deve-se observar a necessidade de incluir o 13º salário dos funcionários na arrecadação. Uma previsão orçamentária bem feita é essencial para o planejamento.

Falta de manutenção: o vilão dos cofres

Consertar é mais caro que preservar. Por isso é importante manter um planejamento de manutenção periódica construtiva e de equipamentos. Contratar empresas idôneas para fazer os serviços também pode evitar o chamado ‘retrabalho’. Isto é, contratar o mais barato para fazer o serviço que não vai ficar a contento e ter que contratar outra empresa para fazer o mesmo serviço. Na hora da contratação é preciso elaborar muito bem o contrato, com cronograma de execução e garantias para o condomínio.

Reveja gastos com funcionários e fique de olho na satisfação

Os valores pagos aos funcionários, incluindo salários e encargos, representam os maiores custos do condomínio. Por isso, é preciso questionar se o número de colaboradores extrapola as reais necessidades do condomínio e se estão sendo pagas horas extras. Ficar de olho na satisfação do funcionário e procurar manter os mais talentosos, também pode evitar gastos com rescisões.  

Redação Portal

Redator

Acesse meu perfil

COMPARTILHE

Assine nosso newsletter

Inscreva-se para receber nossas novidades e promoções.