contato@falandodecondominio.com.br

Seguro do condomínio não dá cobertura para danos causados pelas unidades

Gestão de Condomínio

Todo condomínio deve contar com um seguro. A contratação desse serviço é obrigatória e de responsabilidade do síndico. Mas você sabia que esse tipo de seguro não garante cobertura total para as unidades? Esse é um assunto que ainda gera muitas dúvidas aos condôminos.

O objetivo do seguro do condomínio é resguardar a edificação (reconstrução da estrutura) e dar cobertura aos danos que por ventura ocorram nas áreas comuns (hall, corredores, salão de festas, entre outras).

Existem duas modalidades de contratação. A básica, que indeniza os condôminos em caso de incêndio, raio, explosão, implosão, queda de aeronave e acionamento acidental de sprinklers. Ela ainda oferece, à parte, outras coberturas que podem ser contratadas de forma opcional, e ainda uma mais ampla, que garante automaticamente mais coberturas, dentre as quais desmoronamentos parciais ou totais, impactos de veículos terrestres, tumultos, danos elétricos, inundações, alagamentos, entre outras.

O condomínio ainda pode contratar um seguro com cobertura que garanta o reembolso de despesas por danos corporais ou materiais causados involuntariamente a terceiros ou aos condôminos, por determinação judicial.

Ebook: Dicas para manter uma boa convivência em condomínio

Com a inclusão dessas coberturas, é a seguradora que responde, até o limite máximo fixado na apólice, por uma possível indenização por danos involuntários, materiais ou corporais causados a terceiros. Esse é o maior benefício do produto: trazer tranquilidade ao síndico e condôminos.

Mas se a cobertura do seguro do condomínio pode ser muito abrangente, para que contratar o seguro da unidade?

De acordo com o corretor de Seguros, Gabriel Avelar, da Office Corretora de Seguros, as apólices de seguro da unidade podem oferecer cobertura contra roubos, danos elétricos, quedas de aeronaves, prejuízos causados involuntariamente a outras pessoas. “Um exemplo é o caso de uma infiltração que prejudique uma unidade. Se a infiltração for proveniente da edificação, como o cano da prumada do prédio, o seguro cobre os prejuízos”, explica o corretor.

Já se for constatado que é proveniente de outra unidade, o proprietário é que deverá providenciar os reparos. Segundo Gabriel, neste caso, se a unidade causadora da infiltração contar com seguro, ele poderá ser acionado para ressarcimento dos prejuízos.

O titular do seguro ainda pode solicitar outras coberturas diferenciadas, como aquelas que garantem proteção aos bens relativos às atividades profissionais que o titular exerça em sua residência. Ainda existe a cobertura de franquia de automóvel, que cobre a franquia do veículo em caso de acionamento por sinistro.

No seguro residencial, é o segurado que define o valor máximo de cobertura contratada. Caso aconteça um incêndio ou algum outro acidente, o valor da indenização será o equivalente à reconstrução do imóvel, de acordo com parecer técnico em relação à construção. Também está incluído o valor equivalente à reposição dos bens danificados em seu interior.

O seguro residencial ainda conta com outros benefícios como assistências gratuitas com chaveiro, encanador, vidraceiro, entre outras, que podem ser acionadas sem custo até o limite máximo estipulado no contrato.

Para garantir as coberturas que se pretende e contratar o melhor tipo de seguro é importante sempre consultar um corretor de seguros credenciado.

Redação Portal

Redator

Acesse meu perfil

COMPARTILHE

Assine nosso newsletter

Inscreva-se para receber nossas novidades e promoções.